Tag Arquivo para Renato A. Azevedo

Ficção Científica Literária e Feminista na TrekkerCon 2017

Roberto Causo e sua esposa Finisia Fideli participaram da TrekkerCon 2017, em painéis sobre ficção científica literária e as mulheres que fizeram o universo de Jornada nas Estrelas.

A convite do Almirante César Augusto, do fã-clube Star Trekkers, Finisia Fideli e Roberto Causo participaram dessa convenção, nas dependências do SENAC da Aclimação, em São Paulo. O evento aconteceu em 23 de setembro de 2017.

 

Causo participou no painel “Bate Papo Sobre Ficção Científica Literária”, que reuniu também o editor e promotor cultural Silvio Alexandre, o ator e roteirista de quadrinhos e cinema Felipe Folgosi, e o moderador César Augusto. O centro da conversa foi a situação atual do mercado para literatura e quadrinhos de FC no Brasil, o papel do financiamento coletivo (crowdfunding) como alternativa de obtenção de recursos, quais preconceitos sofre o autor nacional, se a ascensão da “cultura nerd/geek” teve impacto na área, e como a FC brasileira e o próprio país lidam com as questões de ciência e tecnologia, em comparação com os países desenvolvidos. Houve boa participação da plateia — uma pessoa lembrou-se, inclusive, de Causo na Isaac Asimov Magazine: Contos de Ficção Científica (1990-1993). Folgosi pôde falar da sua história em quadrinhos Aurora, que Causo teve chance de resenhar no site do Who’s Geek, e do seu novo álbum, Comunhão (IHQ, 2017), com arte de J. B. Bastos. Um exemplar de Glória Sombria, parte da série As Lições do Matador, de Causo, foi sorteado no final do bate papo.

 

Finisia Fideli fez parte do painel “Mulheres que Fizeram Jornada”, ao lado de Fabíola Forchin, Aino Alex, e Karol Souto, com mediação da oficial klingon Nair Flores, do Star Trekkers. É bom lembrar que foi Finisia quem, em tempos modernos, lá em 1996, inaugurou o questionamento da situação da mulher na ficção científica. O foco então — e desde então — foram os estereótipos femininos e o que eles denunciam do pensamento machista ou patriarcal de escritores, roteirista e editores. Felizmente, o painel na TrekkerCon escapou desse assunto já um pouco cansado. As mulheres no painel falaram sobre como o universo de Star Trek e a ficção científica fizeram parte da sua formação, a importância das mulheres na franquia, as dificuldades que as mulheres sofrem na comunidade de fãs de ficção científica, e o cosplay no dia a dia. Chamou a atenção a atitude positiva, pró-ativa e orgulhosa das mulheres, que não dão uma ênfase tão grande às cretinices masculinas, do que a militância formada nas redes sociais costuma dar. Talvez por serem todas elas profissionais independentes, cada uma com o seu próprio negócio. Pena que a conversa foi curta. Finisia sorteou um exemplar da antologia Os Melhores Contos Brasileiros de Ficção Científica (Devir Brasil, 2007), que traz o seu conto clássico “Exercícios de Silêncio“, de 1983.

O casal ainda foi adquirir Comunhão e pegar o autógrafo de Folgosi, no quinto andar do local do evento. Lá, Causo se encantou com a arte da ilustradora Gio Guimarães, e adquiriu dela o seu Sketchbook II (Bohemian Fox, 2016) e o print de uma arte de Star Trek, no estilo desta aqui. Certamente, uma artista de nível internacional, que vale acompanhar. Estavam por lá também os fãs L. Klink Jr. e Gustavo Borges, além dos escritores Renato A. Azevedo e Márcia Lins Zotarelli.

Finisia Fideli e Roberto Causo agradecem a César Augusto, pela oportunidade de falar na TrekkerCon 2017.

 

TrekkerCon 2017: Roberto Causo fala sobre ciência e ficção científica no Brasil no evento do clube Star Trekkers

 

TrekkerCon 2017: Roberto Causo, Felipe Folgosi, César Augusto, Silvio Alexandre

 

TrekkerCon 2017: Finisia Fideli e Aino Alex

 

TrekkerCon 2017: Finisia apresenta o sorteio da antologia Os Melhores Contos Brasileiros de Ficção Científica

 

Sem comentários até agora, comente aqui!

Roberto Causo no Encontro Alpha Fiction

O escritor divulgou seus livros Glória Sombria e Shiroma, Matadora Ciborgue, no evento trekker em 28 de fevereiro de 2016, e discutiu a situação da ficção científica no mercado editorial brasileiro.

 

Aconteceu em 28 de fevereiro o evento “Alpha Fiction: Ficção, Ciência e Literatura” na Biblioteca Mário Schenberg, Lapa, São Paulo, organizado por Silvia Reis e Douglas Camillo-Reis. Dentre as muitas atividades, um painel com os escritores brasileiros de ficção científica Ivan Carlos Regina (criador do Movimento Antropofágico da Ficção Científica Brasileira), Renato A. Azevedo, Márcia Lins Zotarelli e Roberto Causo, mediado por Silvia e Douglas.

Causo falou um pouco da história da ficção científica brasileira, do século XIX (o “Período Pioneiro”) até o presente (a “Terceira Onda da Ficção Científica Brasileira”), e divulgou os seus livros mais recentes, Glória Sombria (2013) e Shiroma, Matadora Ciborgue (2015), ambos parte do Universo GalAxis.

Entre as atrações dessa edição do Alpha Fiction, havia no palco um objeto de cena aludindo ao teletransporte da série clássica de Jornada nas Estrelas, no qual os participantes puderam tirar fotos, além da exibição de vídeos de séries de space opera (incluindo aí o reboot da série de animação japonesa Yamato/Patrulha Estelar) e um documentário científico sobre a recente descoberta das ondas gravitacionais previstas por Albert Einstein.

 

Silvia Reis, Roberto Causo, Márcia Lins Zotarelli, Renato A. Azevedo e Ivan Carlos Regina

Silvia Reis, Roberto Causo, Márcia Lins Zotarelli, Renato A. Azevedo e Ivan Carlos Regina

Roberto Causo agradece a Silvia Reis pela oportunidade de participar do encontro.

 

Sem comentários até agora, comente aqui!