Opiniões

Veja algumas repercussões positivas das aventuras de Jonas Peregrino e Shiroma:

 

 

Jonas Peregrino já é um dos mais notáveis personagens da ficção científica brasileira, e as histórias da série destacam-se pela pesquisa (o que as torna verossímeis), a vibrante narrativa e a construção de um universo ficcional rico de possibilidades.”
—Marcello Simão Branco, co-autor do Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica.

 

“Se somarmos Glória SombriaMestre das MarésShiroma, Matadora Ciborgue a mais uma dúzia de contos publicados em antologias diversas, notamos que o Universo GalAxis certamente é um dos cenários de ficção científica mais vibrantes (e ainda em expansão) no âmbito da FC nacional. Um conjunto de obras que você não pode deixar de conhecer.”

—Carlos Rocha, autor de Olhos Negros.

 

“Acho que é difícil falar de FC militar nacional e não falar de Roberto de Sousa Causo.”

—J. M. Beraldo, autor de Taikodom: Despertar.

 

“Além de destaques internacionais, como Asimov e Herbert, Roberto de Sousa Causo e Gerson Lodi-Ribeiro são importantes nomes nacionais [da space opera].”

—Alexandre Lucchese, Zero Hora.

 

Sobre Glória Sombria: A Primeira Missão do Matador:

“Causo, um dos grandes nomes da FC hard brasileira, nos conduz por uma trama envolvente nas profundezas da Via Láctea. Glória Sombria prende o leitor da primeira à última página enquanto o herói se envolve em batalhas espaciais, disputas políticas e o jogo do poder em uma força militar do futuro. Um digno sucessor de Tropas Estelares de Heinlein e da Guerra Eterna de Haldeman.”

—Jorge Luiz Calife, autor da Trilogia Padrões de Contato e de Angela Entre Dois Mundos.

Glória Sombria é o ótimo início de uma saga épica protagonizada por Jonas Peregrino, herói de perfil clássico (vale dizer: honrado e incorruptível), seguindo seu destino numa esfera de civilizações em expansão. O conflito com os tadais é intenso, mas não é o único. Outros, de natureza moral, cercam o matador-peregrino, pondo à prova sua inteligência e integridade. Enfim, um herói para tempos sombrios, com o qual os leitores gostarão de se identificar.”

—Nelson de Oliveira, autor de Poeira: Demônios e Maldições.

“A trama de Glória Sombria lembra o clássico Guerra sem Fim, de Joe Haldeman  … Tem toda aquela tecnologia que nos acostumamos a ver nas space operas mais modernas. Robôs, ciborgues, naves espaciais capazes de saltos no hiperespaço e planetas extraterrestres. Se fosse filmado, o livro do Roberto não ficaria nada a dever em relação a outras obras do gênero, como o Avatar, do James Cameron, ou o recente Oblivion com o Tom Cruise. Infelizmente, aqui no Brasil é praticamente impossível um livro de ficção virar filme, o cinema brasileiro ainda não tem dinheiro para isso …