Notícias Interceptadas

Notícias Interceptadas

“Galileu” Inclui “Glória Sombria” em Recomendação de FC Nacional

A versão online da revista de divulgação científica Galileu publicou em 4 de maio uma lista de ficção científica brasileira recomendada pela redação. A lista inclui Glória Sombria: A Primeira Missão do Matador (Devir Brasil, 2013), primeiro romance da série As Lições do Matador, de Roberto Causo.

 

Arte de capa de Lambuja.

A postagem acompanha uma edição nas bancas, com matéria de capa sobre ficção científica assinado por Nathan Fernandes, a Galileu N.º 322. A revista tem uma diagramação moderna e arejada, inspirada na americana Wired. A matéria foi editada por Giuliana de Toledo, a editora-chefe da publicação, e é centrada no argumento de que a ficção científica representa a realidade presente e é um instrumento importante para compreendê-la, em especial nas suas questões políticas e sociológicas. De fato, o artigo discute basicamente as tradições da utopia e distopia, citando, entre vários, Cláudia Fusco, Nelson de Oliveira, Manuel da Costa Pinto e os professores Carlos Berriel e Esther Solano.

A capa feita pelo artista Lambuja tem a rica iconografia da ficção científica na literatura e no cinema explodindo das páginas de um livro incendiado. Referência direta ao clássico distópico Fahrenheit 451 (1953) de Ray Bradbury, que, desde a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, voltou a ser best-seller juntamente com 1984 (1949), de George Orwell. Noutra parte da revista, a coluna “Tubo de Ensaios”, o psiquiatra Daniel Barros também aborda a FC, muito apropriadamente, inclusive, destacando sua amplitude ilimitada.

A matéria online traz o título “8 Livros para Conhecer a Ficção Científica Brasileira” e a interessante chamada: “Do steampunk à space opera, produção nacional trabalha problemas da sociedade com um fundo de ciência.” É muito raro que esse tipo de recomendação parta de uma publicação como a Galileu, voltada para ciência e tecnologia junto a leitores mais jovem.

Sobre Glória Sombria, a postagem no site Galileu Online diz: “A obra de Roberto de Sousa Causo acompanha a atuação do tenente Jonas Peregrino na Esquadra Latinoamericana do século 25. O oficial deverá enfrentar seus próprios limites e as divisões internas das Forças Armadas para treinar uma unidade de elite que combata os tardais, alienígenas que ameaçam dizimar um planeta.”

A seleção é rica, eclética e bastante atual. Os títulos elencados são:

1. O Caçador Cibernético da Rua Treze, de Fábio Kabral.

2. Eros Ex Machina: Robôs Sexuais, de Luiz Bras, ed. (a única antologia listada)

3. Trilogia Padrões de Contato, de Jorge Luiz Calife.

4. Deixe as Estrelas Falarem, de Lady Sybylla.

5. A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison, de Enéias Tavares.

6. Glória Sombria, de Roberto de Sousa Causo.

7. V.I.S.H.N.U., de Eric Asher, Ronaldo Bressane & Fabio Cobiaco (o único romance gráfico listado).

8. As Águas Vivas Não Sabem de si, de Aline Valek.

 

Sem comentários até agora, comente aqui!

“Selva Brasil” Ganha Resenha no Blog “Ficção Científica Brasileira”

Selva Brasil (Editora Draco), a novela de história alternativa de Roberto Causo foi resenhada no blog Ficção Científica Brasileira, criado por Luiz Bras. O crítico Ricardo Celestino destacou o fator de imersão que a narrativa proporciona.

 

Arte de capa de Erick Sama.

Publicado pela Editora Draco, de São Paulo, em 2010, Selva Brasil tem ilustração de capa de Erick Sama e vem colecionando resenhas e menções positivas em blogs e redes sociais. Faz parte de um trio bastante distinto de novelas de ficção científica ambientadas na Amazônia brasileira, escritas na década de 1990. As outras duas são Selva Brasil, classificada no III Festival Universitário de Literatura (da revista Livro Aberto e da Xerox do Brasil), e O Par: Uma Novela Amazônica, ganhadora do 11.º Projeto Nascente (da Universidade de São Paulo e do Grupo Abril). Selva Brasil também saiu pela Editora Draco.

O blog Ficção Científica Brasileira foi criado pelo escritor Luiz Bras (um pseudônimo de Nelson de Oliveira) para dar maior visibilidade e promoção à FC nacional.

Na resenha em questão, publicada em março deste ano, o crítico Ricardo Celestino trata primeiro do contexto da novela, em que o plano mirabolante do Presidente Jânio Quadros de invadir as Guianas, na fronteira norte do Brasil, é levado a cabo. A ação tresloucada resulta, décadas depois, em uma tensão permanente na área, com diversos choques militares acontecendo de quando em quando, na floresta amazônica. Sobre a narrativa como ficção científica, Celestino destaca:

“O tempero de ficção científica ao longo do romance não fica só na especulação de uma realidade alternativa. Há também todo um mistério em torno de um experimento militar que pode ser o elo entre a realidade paralela criada pelo autor e a nossa. O arco narrativo é bem construído, a ponto de ficarmos curiosos para saber como seria a vida privada naquela nova realidade de brasileiros um tanto quanto mais críticos e participativos na vida pública e política do país.”

Mais importante, o resenhador recebeu bem a ambientação amazônica e a descrição de uma problemática geopolítica mas também cultural, que frequentemente é tangenciada pela literatura brasileira:

“O que também existe de voz crítica no livro é a reflexão em torno da complexa situação das fronteiras brasileiras na perspectiva geográfica, política e cultural. Enquanto brasileiro, senti ao longo da leitura que perdemos a sensibilidade em relação às etnias indígenas, e desconhecemos as complexidades e as riquezas de sua arqueologia cultural.

“Fui educado pela estética sul-sudeste e Selva Brasil me proporcionou uma imersão inusitada em um território nacional pouco explorado por outras literaturas de ficção científica a que tive contato. Parafraseando Chimamanda Adichie: enquanto leitores críticos, devemos perseguir aquelas obras que nos convidam a fugir das histórias únicas sobre as culturas e as civilizações. Selva Brasil é, sem dúvida, uma ótima opção imersiva para esse exercício.”

O texto completo da resenha está disponível aqui.

 

 

Sem comentários até agora, comente aqui!

Veja a Capa do Novo Livro das Lições do Matador

O artista de ficção científica Vagner Vargas é o autor da ilustração de capa do romance Mestre das Marés, o segundo livro da série As Lições do Matador, de Roberto Causo.

 

A imagem criada por Vagner Vargas representa uma flotilha de naves da classe Jaguar, parte do 28.º Grupo de Reconhecimento Profundo comandado por Jonas Peregrino, aproximando-se do planeta Firedrake Gamma-M. Antes um planeta gigante gasoso, foi devastado pelo jato relativístico emitido por um buraco negro — que aparece no fundo. A diagramação é de Tino Chagas, e a quarta capa inclui imagem do artista brasileiro Bruno Werneck, um requisitado artista de produção de filmes de Hollywood e de videogames.

Os Jaguares de Peregrino estavam a caminho de uma outra missão, quando foram desviados para fora da Esfera porque uma estação espacial científica que estudava o buraco negro foi atacada por naves-robôs tadais. O Almirante Túlio Ferreira, comandante máximo da Esquadra Latinoamericana da Esfera, determinou que a aquisição de dados de inteligência sobre os misteriosos alienígenas conhecidos como “tadais” é a prioridade número 1 dos Jaguares.

Essa prioridade também obriga Peregrino a descer, com um grupo de combate de infantaria embarcada, à superfície de Firedrake Gamma-M, onde os cientistas sobreviventes estão refugiados. Lá, ele e seu pessoal ficam sabendo pelos cientistas que há uma máquina tadai desconhecida instalada nos subterrâneos do planeta, causadora de efeitos científicos inéditos. Alcançar essas instalações, com a ajuda da Chefe de Segurança Beatrice Stahr, e arrancar delas os seus segredos é a nova missão dos Jaguares — enquanto em órbita, um bloqueio é formado pela Capitã Helena Borguese para deter um enxame de naves tadais e impedir que elas baixem seus robôs-exterminadores até a superfície.

Arte de capa de Vagner Vargas.

“Com sua competência habitual, Roberto Causo conduz o leitor através de uma envolvente aventura interestelar. O Capitão Peregrino e sua equipe dos Jaguares penetram num sistema estelar destruído por um buraco negro gigante. Contando com o benefício das descobertas mais recentes da astrofísica e dos telescópios espaciais, o autor nos brinda com mais um exemplo notável da new space opera.”

—Jorge Luiz Calife, autor da Trilogia Padrões de Contato e Angela entre dois Mundos.

“Amálgama delicado de poesia clássica e ficção científica contemporânea, Mestre das Marés mostra-nos um Causo bem mais maduro do que em obras anteriores, com amplo domínio dos aspectos científicos do enredo … Constata-se, a cada novo livro, a evolução do autor, que se firma com segurança como um dos pilares da ficção científica brasileira.”

Henrique Flory, autor de Evolução e O Elo.

 

Mestre das Marés deve ser lançado pela Devir Brasil, como parte do selo Pulsar, em setembro de 2018.

 

Sem comentários até agora, comente aqui!

Tadaroids no Universo Galaxis

O artista e programador Vagner Vargas criou um game gratuito para o usuário do site GalAxis, TadaRoids!

 

TadaRoidsTadaRoids é baseado no jogo de arcade Asteroids e inspirado nas situações da série As Lições do Matador, do Universo GalAxis.

A sua nave precisa vencer um campo espacial cheio de minas robóticas espalhadas pelos alienígenas tadais. São etapas com nível crescente de dificuldade, com as minas menores gerando maior pontuação. Ao final, você terá a sua pontuação total!

Use as teclas direcionais do seu teclado para mover a nave — esquerda para girar para a esquerda, direita para girar à direita, e acima para impulsionar a nave — e a tecla espaço para abrir fogo.

Clique na imagem, e tente sobreviver ao campo minado tadai!

 

Deixe nos comentários as suas impressões sobre o jogo e o seu recorde.

TadaRoids

Temos 4 comentários, veja e comente aqui

Roberto Causo e Vagner Vargas Formam a Sociedade GalAxis com o Estúdio Desire

O escritor Roberto Causo e o artista Vagner Vargas se juntaram ao Estúdio Desire, capitaneado pelo designer gráfico Taira Yuji, para criar a Sociedade GalAxis, voltada para o fortalecimento e promoção do Universo GalAxis.

 

Para Roberto Causo, “o pessoal do Desire tem o entusiasmo e o conhecimento necessário para levar as séries As Lições do Matador e Shiroma, Matadora Ciborgue a outras mídias e estratégias criativas”.

Taira Yuji na CCXP 2017.

Designer, arquiteto, criador do multiverso Desire® Universe e fundador do Estúdio Desire, Taira Yuji cursou design de multimídia no Senac e arquitetura no Mackenzie, formando-se na Universidade Anhembi Morumbi. Tornou-se o braço direito do artista plástico e designer Mario Cafiero, atuando como seu assistente por 12 anos. Durante esse período, trabalhou com artistas plásticos como Walter Ono, Guto Lacaz, Carlos Batistella e com o consagrado escritor infantil Bartolomeu Campos de Queirós. Na mesma época, trabalhou como designer gráfico e como assistente de direção de arte para a Santista Téxtil, C&A, Unicamp, USP, Unilever, Carrefour, Schering-Plough, Boehringer Ingelheim, Rede Globo, Cultura Inglesa, entre outras. Em sua carreira solo, tornou-se diretor de arte na XComicação (atual XCom), onde trabalhou com marcas como Nissan, Campari, Royal Caribbean, British Airways, PokerStars, Logitech, Riot Games, e Master Blenders. No ano de 2014, decidiu viver nos Estados Unidos com seus avós, com o intuito de obter experiência para fundar o Estúdio Desire, atualmente atuando em produção editorial, concepção de cardgames e videogames, e ações de marketing e eventos.

Sobre o projeto da Sociedade GalAxis, Yuji declarou:

“Em 2011, tive o prazer de trabalhar com Roberto de Sousa Causo na produção da Exposição Ficção Científica Britânica no Festival da Cultura Inglesa. Em 2014, retomei o contato com ele para convidá-lo a participar dos projetos do multiverso Desire®, especialmente na escrita do romance Archin e noa estudoa sobre o multiverso, batizado e dividido posteriormente como Devaneios de Mojuganide, Orichigaria, Ogazia e outros mundos que estão em desenvolvimento e refinamento. Em 2016, iniciamos uma parceria em que o escritor trabalharia com preparações e revisões dos textos do estúdio. Hoje, ele trabalha ao lado de Pedro Santos e Laís Mendonça e na criação e concepção das obras internas e externas do Desire. Por conta deste envolvimento e também pela admiração que sentimos por suas obras e pela pessoa que Roberto Causo é, foi que aceitamos sua oferta de uma sociedade entre o Estúdio Desire e o escritor na administração e desenvolvimento do Universo GalAxis, criação de Causo composta das séries em curso As Lições do Matador e Shiroma, Matadora Ciborgue, e que nos encantou por sua originalidade e força.

Vagner Vargas.

“Por conta deste projeto, Causo nos apresentou a Vagner Vargas, um artista ícone da arte de ficção científica no Brasil e também sócio no Universo GalAxis. Com isso, agora trabalhamos juntos visando tecer este universo ficcional e propriedade intelectual, cientes de que a experiência do Estúdio Desire e o seu foco na criatividade e na energia imaginativa da sua equipe têm tudo para ampliar o alcance e a profundidade de GalAxis no Brasil e no exterior, na área da literatura mas também em outras mídias.”

 

 

 

 

 

 

Sem comentários até agora, comente aqui!